Cliente: AES Tietê
Pesquisa comprova eficiência de repovoamentos em rios e reservatórios


Alevinos soltos pela AES Tietê chegam à fase adulta


​Um estudo realizado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), encomendado pela AES Tietê, comprovou a eficiência do Programa de Manejo Pesqueiro realizado pela companhia. Essa iniciativa repovoa os rios Tietê, Pardo e Grande com alevinos de seis espécies diferentes.



Durante a pesquisa, foram analisadas e comparadas as matrizes utilizadas no Programa de Manejo Pesqueiro com os peixes adultos capturados nos reservatórios hidrelétricos dos rios Tietê e Pardo. As espécies selecionadas foram o Pacu-Guaçu (Piaractus mesopotamicus), a Piracanjuba (Brycon orbignyanus) e o Curimbatá (Prochilodus lineatus), por representarem o maior número de alevinos repovoados pela geradora nesses reservatórios.



“Ficou comprovado que, de acordo com os estudos dos materiais genéticos analisados, esses peixes são parentes. Ou seja, os alevinos que soltamos nos rios e reservatórios cresceram e se tornaram adultos, o que gera grande ganho ambiental para a região”, explica o biólogo Silvio Carlos A. dos Santos, responsável pelo projeto.



Por conta deste trabalho, realizado nos rios e reservatórios operados pela empresa, a AES Tietê já conseguiu retirar o Pacu-Guaçu da lista de animais ameaçados de extinção na região.

19/04/2013
Digital Week internacional 2013
(www.revistain.com.br)